fbpx

3 dicas para se proteger de golpes através do PIX




O Pix, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, veio para ficar. Quase 100 milhões de pessoas já estão cadastradas e podem usar o sistema gratuito, que funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados.

Mas toda facilidade tem seu preço: quase todos os dias, alguma notícia ou reportagem é publicada alertando para a quantidade de golpes que acontecem através do Pix. Confira as dicas abaixo para saber como se proteger, evitar dores de cabeça e prejuízos financeiros.

Ative a autenticação de dois fatores

A autenticação de dois fatores é um recurso disponível em vários aplicativos para reforçar a segurança do seu acesso. No Whatsapp, por exemplo, o primeiro fator de segurança é um SMS enviado pelo próprio aplicativo sempre que um novo número for associado a uma conta. O segundo fator de segurança é uma senha que o próprio usuário escolhe e é solicitada em dois momentos: de tempos em tempos, pelo próprio aplicativo, para evitar que a esqueça ou quando o número for cadastrado em um novo aparelho. Isso dificulta que seu perfil seja clonado e pessoas se passem por você pedindo dinheiro para parentes e amigos. Lembre-se: nunca, em hipótese alguma, compartilhe a sua senha!

Diminua o limite de valor para transferências

O Banco Central permite que o limite máximo das transferências via Pix e outras formas de pagamento seja alterado. Na prática, isso significa que se conseguirem acessar sua conta bancária o prejuízo será limitado ao valor máximo definido anteriormente. Para diminuir o prejuízo, evite deixar o limite em valores superiores a mil reais. Além disso, a alteração do valor do limite deve ser analisada pelo seu banco por, no mínimo, 24 horas. Portanto, assim que você perceber qualquer situação suspeita, comunique o banco e solicite o bloqueio da conta imediatamente.

Desconfie sempre

Os golpes através do Pix têm se tornado cada vez mais sofisticados, por isso é importante que você sempre confira as informações antes de atender a qualquer pedido de amigos ou parentes. Por exemplo, se você receber alguma ligação dizendo ser do seu banco e pedindo a confirmação de um código enviado por mensagem, recuse e entre em contato com a instituição financeira para verificar se eles realmente precisam deste dado (a maioria dos bancos nunca pede senhas ou dados pessoais por telefone, e-mail nem mensagem). Se receber uma mensagem de alguém conhecido que supostamente mudou de número, evite transferir qualquer quantia. Faça uma chamada de vídeo para garantir que aquele número realmente é da pessoa. Se não for possível confirmar a identidade do contato, bloqueie imediatamente.

Agora você já sabe algumas formas de se proteger dos golpes aplicados através do Pix, mas ainda existem muitas outras formas de ameaça aos seus dados e de pessoas próximas.

Você sabia que a maioria dos golpes tem em comum a engenharia social? Isso quer dizer, que as pessoas por trás dos golpes estudam as informações da vítima que estão disponíveis na Internet para parecer que realmente a conhecem e fazer com que ela seja facilmente enganada.

Engenharia social, cibersegurança e hacking são assuntos que você pode aprender através da nossa plataforma de treinamentos. Independente do seu nível de conhecimento, você terá acesso a aulas preparadas cuidadosamente para te guiar passo-a-passo, do iniciante ao avançado, com conteúdo personalizado e um ambiente exclusivo para colocar a mão na massa e testar seus conhecimentos. 

E o melhor, no seu tempo! Todas as aulas são gravadas, por isso, você pode assistir quando e quantas vezes quiser. 

Clique aqui e confira todas as opções disponíveis para se tornar um dos profissionais mais disputados pelo mercado de cibersegurança.




Menu